28 de abr de 2009

RESPOSTAS AOS LEITORES

Cara Septrox,

Seu questionamento em relação ao prazo de validade dos homens é tão complexa que escreverei um texto apenas para ele, está no planejamento, mas como escrever precisa de um certo tempo determinado para cada assunto, o seu ainda está amadurecendo nas mentes criadoras deste blog, pode acreditar.



Caro Henri com I,

A sensatez no caso deste blog é fundamental, já que estamos aqui escrevendo para análise mais profunda do sexo masculino. Existem certas regras básicas fundamentais nas quais acreditamos.
Óbvio, que nada do que se descreve é incontestável, por isso mesmo temos o cuidado de dar dicas, aconselhar e sugerir. Não viemos com intenção de ofender, muito menos em fazer uma mulher desacreditar nos homens, na verdade, apostamos em vocês como homens de bem, na sua maioria das vezes.
Nosso objetivo é apenas de criar nas mulheres um pouco mais de postura e força para que seja menos difícil alcançar a realização de relacionamento saudável, tranquilo e constante. Entendo que você queira dizer para nós que existem exceções e que nem tudo segue uma regra.
Na verdade tem mais que isso, particularmente acredito, que nada tenha uma regra definitiva, não existe a verdade absoluta. Mas isso já é tão claro para a maioria das pessoas que achamos dispensável justificar ou acrescentar um “ou não”. Isso enfraquece o discurso e confunde.
No nosso método de escrita, por mais que existam divergências nas condutas e opiniões entre eu e minha doce sócia no blog, sempre entramos em consenso para podermos ser assertivas e diretas. Acreditamos que com essa linguagem teremos o poder em ajudar de fato. Assim, cada leitora poderá reconhecer sua própria força, até mesmo para negar-se a agir de uma forma que discorde da nossa. Mas basicamente quando procuramos uma forma de nos aproximar de um novo amor, deixamos muita coisa passar por características recorrentes femininas.
Acreditamos que certas coisas podem ser deixadas para trás, velhas formas de agir, de cobrar, de entender. Este blog é criado para direcionar certas regras e é nesta solução que nos apegamos e criamos os textos. Aceito e concordo plenamente com você, Henri, não estamos na ditadura. Mas está na hora de entender melhor o que faz assustar quem queremos tanto e tantas vezes... ou não?!

Beijos e continue lendo e escrevendo suas opiniões...

Um comentário:

  1. Entendo, dona Cabiria. E peço desculpas se, por acaso, possua qualquer tom rude em minhas observações. Tenho de dizer, também, que acho de uma sensatez monumental a busca por um relacionamento como o que vocês descreveram e torço para que ele banhe a existência de eu, tu, ele, nós, vós, eles.

    Talvez o que tenha me incomodado no último texto foi a leve sensação de "coisificação" que tive, sabe?
    Me lembra um filme, O Último Pecado de Cristo, quando no final o Diabo fala : "só existe uma mulher no mundo com vários rostos"

    Agradeço a resposta e fico honrado em poder trocar idéias com vossas senhorias, cheias de ótimos, tão bem escritos, pensamentos.

    ResponderExcluir